Acalmando o corpo antes de acalmar a mente: estratégias sensoriais para crianças afetadas por trauma

Atualizado: Jun 28


Estratégias sensoriais para crianças

Crianças que sofreram traumas podem encontrar maior dificuldade para regular suas emoções e comportamentos. Estudar o impacto que o trauma psicológico causou pode ajudar a fornecer respostas práticas às necessidades dessas crianças.


Etapas do desenvolvimento do cérebro


A organização do cérebro da criança depende de repetidas experiências em momentos certos durante interações seguras e previsíveis com seus cuidadores. De acordo com o Modelo Neurosequencial (link externo em inglês), há três estágios principais do desenvolvimento cerebral nos primeiros anos.

1º estágio - As partes inferiores do cérebro são as primeiras a se organizar, começando no útero até cerca de dois anos de idade. Essas partes nos ajudam a permanecer vivos, a nos mover e a usar nossos corpos.


2º estágio - As partes do meio do cérebro são as segundas a se organizarem, geralmente entre um e quatro anos. Essas partes nos ajudam a sentir e conectar, e a formar um sentimento de pertencimento e segurança relacional.


3º estágio - O córtex é a terceira parte a se organizar, tipicamente entre as idades de três a seis anos. Esta parte é responsável pela fala e linguagem, pensamento, reflexão e planejamento.

Muitas crianças que sofreram abuso, negligência e outros traumas, perdem essas experiências críticas. Ao trabalhar com crianças e jovens que sofreram trauma, as intervenções terapêuticas devem atuar para reorganizar as partes do cérebro afetadas pela primeira vez. Isso significa apoiar as crianças a regular seu corpo antes que elas possam regular suas emoções.


Capacidade de autorregulação


Uma das funções mais importantes do desenvolvimento é a capacidade de se autorregular. Bebês e crianças pequenas dependem de seus cuidadores para ajudá-los quando se sentem angustiados ou sobrecarregados. Quando a criança amadurece, ela pode desenvolver estratégias de autocontrole para se acalmarem, como chupar o dedo, balançar e buscar ativamente o conforto de um cuidador preferido. Os cuidadores usam estratégias sensoriais para ajudar a acalmar as crianças, como canções familiares, ursinhos favoritos, um chá ou um leite quente. Não dizemos a uma criança que se acalme, ajudamos ela a se acalmar.


Acalmando o corpo, antes de acalmar a mente


Muitas crianças não possuem as habilidades necessárias para o autocontrole de maneira apropriada e segura para a idade. Isso geralmente ocorre porque seus sistemas sensoriais estão organizados em torno da preparação para ameaças e perigos, ou enfrentando a ausência de cuidados. Suas áreas do cérebro inferior são altamente ativas, mesmo quando não há ameaça real, e estão em um estado de estresse contínuo.

O estado permanente de alerta desencadeado pelo estresse da criança prejudica a capacidade de formar relacionamentos de confiança com os demais e prejudica seu aprendizado. Na maioria dos casos, essas crianças precisam de ajuda para acalmar o corpo, antes que possamos ajudá-las a acalmar a mente. Veja abaixo a lista de comportamentos e sintomas associados a histórias de trauma e negligência crônica.

Comportamentos associados a histórias de trauma

  • agressão explosiva e física

  • desatenção e distração frequentes

  • autoagressão (por exemplo, corte, palhetada, bater com a cabeça)

  • retirada e desengajamento social

  • dormir mal

  • comportamentos rígidos e controladores

  • não conformidade

Comportamentos e sintomas associados à negligência crônica

  • atrasos no desenvolvimento

  • autoconfiança compulsiva

  • acumulação de alimentos e hábitos alimentares estranhos

  • insensibilidade à dor

  • falta de empatia e conexão


Trabalhando terapeuticamente com crianças


Devemos ajudar a criança a se sentir fisicamente e emocionalmente tranquila para, em seguida, estabelecer uma interação que transmita segurança. Na segunda etapa, geralmente começamos a oferecer à criança oportunidades de estímulos sensoriais positivos e frequentes (ou seja, coisas que são experimentadas pelos sentidos) para apoiar a regulação física e emocional de uma criança. Quando usadas repetidamente durante o dia e a semana de uma criança, as entradas sensoriais ajudam a acalmar a mente e fornecem uma base para o envolvimento social. Exemplos de entradas sensoriais:

  • cobertores e brinquedos pesados

  • rotinas para dormir que incluem banhos quentes e perfumados e massagens

  • colares para mastigar

  • massa de modelar

  • brinquedos inquietos

  • bebidas grossas sugadas por canudos

  • redes para balançarem

  • música via fones de ouvido

  • pula-pula

Essas informações sensoriais são escolhidas por meio de observação cuidadosa para atender às necessidades específicas de uma criança - em consulta com um terapeuta ocupacional, quando necessário.

Outras atividades, como dançar, sair, nadar, jogar bola, cozinhar e jardinagem, também ajudarão quando usadas regularmente ao longo do tempo. Quando as crianças se envolvem nessas atividades ao lado de cuidadores seguros e previsíveis e outros adultos, aprendem a associar o bem-estar (regular) a seus relacionamentos (relacionar-se). Como resultado, seu funcionamento diário é aprimorado.

Ajudar as crianças a regular seus corpos e emoções e a construir relacionamentos seguros, permite que o cérebro pensante da criança seja ativo. Como resultado, eles serão muito mais capazes de se beneficiarem de atividades terapêuticas e desenvolverem interações saudáveis.

Este breve artigo descreve como usar estratégias que ajudam a acalmar o corpo das crianças, a fim de acalmar suas mentes e emoções - especificamente, a abordagem Regular, Relacionar-Razão usada no programa Take Two da Berry Street (link externo em inglês).


Tags: Vila das Letras, Escola Infantil, Berçário, Estratégias Sensoriais, Crianças, Bebês, Como acalmar corpo e mente.

39 visualizações

Segunda a Sexta-feira

07:30 às 19:00

Berçário, Maternal I, Maternal II, 1º Período, 2º Período

Turno: Integral/ Parcial

Endereço:

Rua Júpiter, 302, Bairro Ana Lúcia

Belo Horizonte/Sabará, MG - Brasil

(31) 9 9745-9186 

  • Instagram
  • Facebook
  • LinkedIn ícone social