Como trabalhar competências socioemocionais nas escolas?



Como parte do processo de socialização, o ambiente escolar apresenta diversas possibilidades para o desenvolvimento das competências socioemocionais.


A capacidade de realizar o seu autogerenciamento, construir relacionamentos, tomar decisões considerando tanto as próprias demandas quanto o impacto nas demais pessoas, a autoconsciência e consciência social, são apenas algumas das habilidades que podem ser trabalhadas.


O ambiente escolar pode colocar em xeque diversas situações e apresentar as fragilidades emocionais das crianças, assim como suas dificuldades. Por isso, é, também, um ambiente que oferece oportunidades para que estas questões sejam acolhidas e trabalhadas. Saiba mais a seguir!


Como a escola pode estimular o desenvolvimento socioemocional?


As problemáticas que podem ser percebidas no ambiente escolar demonstram a importância de encontrar maneiras de incentivar o desenvolvimento das competências emocionais em crianças e adolescentes.

Para isto, existem algumas estratégias simples que podem ser implementadas em sala de aula como maneira de abrir o espaço neste sentido e torná-lo mais adequado ao compartilhamento, identificação e gestão das emoções. Confira!


Incentive a construção de um vocabulário emocional


A base das competências socioemocionais está na capacidade de nomear emoções e identificar as razões por que nos sentimos de determinadas maneiras. Por isso, o incentivo à expressão emocional pode ser encorajado através do vocabulário emocional.


Uma tabela de emoções pode auxiliar nesse processo. Assim, antes de iniciar as atividades acadêmicas, pode-se ceder algum tempo para que cada um defina como está se sentido naquele dia e explique o porquê.


Esta atividade ajuda a facilitar o processo de nomeação e expressão de emoções, além de criar empatia pelas emoções das demais pessoas.


Alie ensino e contação de histórias


As histórias são recursos poderosos para estimular o desenvolvimento de competências socioemocionais. Através delas, é possível apresentar emoções em diferentes situações e mostrar caminhos para lidar com sentimentos, tanto positivos quanto negativos.


Dessa maneira, emoções como raiva, frustração, tristeza e diversos outros podem ser trabalhados através das narrativas. As histórias também ajudam a criar o sentimento de empatia em que a criança pode se colocar no lugar dos personagens e vivenciar, por um momento, as suas emoções e conflitos e imaginar como é passar por determinadas situações, como se sentiriam e o que poderiam fazer.



Estimule o trabalho em grupo e a diversidade


As habilidades socioemocionais encontram um campo rico para serem exploradas e desenvolvidas durante trabalhos e atividades escolares que demandem o trabalho em grupo.

Em momentos assim, habilidades como a comunicação, escuta, expressão de ideias e necessidades, a capacidade de realizar questionamentos de maneira assertiva e elogiar ou fazer críticas construtivas são testadas.


Por isso, situações reais observadas na interação entre alunos podem gerar momentos propícios para discutir maneiras mais adequadas de interação e comunicação, por exemplo, a partir das dificuldades encontradas e queixas realizadas pelos alunos.


Outro benefício positivo é a capacidade de trabalhar para atingir um objetivo em comum, o que demanda que cada um faça a sua contribuição de acordo com sua personalidade, habilidades e competências.


Por fim, o incentivo à escrita reflexiva também é uma maneira de fazer com que os alunos entrem em contato com suas próprias emoções. Propor a manutenção de um diário pessoal, onde eles possam escrever livremente e dar vazão aos seus sentimentos, por exemplo, ajuda não apenas no processo de tomada de consciência, mas também a melhorar as habilidades de escrita e raciocínio.



3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo